Guia para retalhistas de televisores

O projeto Compliant TV publicou um guia para retalhistas explicando como colocar corretamente as etiquetas energéticas dos televisores à venda nas lojas físicas e a informação a disponibilizar nas lojas online. Por agora está disponível apenas em inglês, mas prevê-se a tradução noutras línguas. Na primeira campanha de visitas do MarketWatch a retalhistas, os televisores não tiveram um comportamento uniforme.
Tabela_1ªCampanha_Visitas
Se por um lado é a categoria com a taxa mais elevada de modelos corretamente etiquetados (62%) tem também uma taxa elevada de modelos sem etiqueta (16%). Questões de alteração da etiqueta energética, como por exemplo, a utilização do pictograma que coloca o aparelho em modo de desativação sem o visto, foram os principais problemas encontrados.

Frigoríficos “pouco frescos” retirados do mercado

Um modelo fabricado pela Glen Dimplex resultou menos eficiente do que o declarado dado que consumia, em média, 14,5% mais energia de quanto constava na sua etiqueta energética A+. Mais de 1000 modelos foram colocados no mercado antes da intervenção do organismo nacional de medições britânico. A empresa agiu de imediato, impedido a importação e venda de mais modelos e, para além das medidas de compensação que vai ter que implementar, fez uma doação voluntária a projetos de cariz ambiental. Esta situação demonstra a importância da fiscalização de mercado. Mais informações aqui.

Retalhistas europeus de lojas online não fornecem informação exigida por lei sobre equipamentos domésticos

O Projeto MarketWatch visitou 225 lojas em onze países europeus e encontrou vários problemas relacionados com a etiquetagem energética dos produtos, em particular nas lojas online. A não conformidade determinada nas lojas físicas foi de 12% enquanto a das lojas online chegou aos 54%.
Consulte o comunicado (em Português) e o relatório completo (em Inglês).

Uma etiqueta energética de classe A é realmente A?

A rotulagem energética e os requisitos de conceção ecológica deveriam possibilitar a introdução de melhores produtos no mercado, que ajudassem os consumidores a poupar energia e dinheiro, além de contribuírem para a proteção do ambiente.
No âmbito do Projeto MarketWatch serão testados produtos e visitadas lojas para verificar a sua conformidade com estes regulamentos. Para mais informações descarregue o folheto (PDF).

MarketWatch na semana europeia da energia sustentável

No âmbito da semana europeia da energia sustentável, a realizar em junho, serão apresentados, em Bruxelas, os primeiros resultados do MarketWatch, a uma audiência de especialistas. Os responsáveis por outros projetos do programa Intelligent Energy Europe também terão oportunidade de mostrar os resultados obtidos, dando-se especial destaque a conclusão do projeto ATLETE II. Deste projeto serão divulgados os resultados dos ensaios, análise da legislação, aplicabilidade das normas harmonizadas, observações e recomendações à Comissão Europeia e aos Estados-Membros. O programa do evento que decorrerá no dia 25 de junho (quarta-feira), iniciando às 14:30, pode ser consultado aqui . Para se registar é necessário criar uma conta no website EUSEW.

MarketWatch – Amigo ou inimigo das autoridades nacionais?

Qual é o papel do MarketWatch se os Estados-Membros têm as autoridades nacionais de fiscalização de mercado? A temática foi abordada por um dos coordenadores do projeto, Alun Jones, numa apresentação a uma audiência composta por autoridades nacionais, produtores e outros atores de mercado da área da política de produtos, no início de maio, em Bruxelas. O MarketWatch irá incomodar ou complementar o trabalho das Autoridades de Fiscalização de Mercado? Alun diz que o MarketWatch é um amigo e não um inimigo.

(…)
No âmbito da fiscalização de mercado, a sociedade civil pode proporcionar mais transparência a alianças de longa duração na indústria e dar a conhecer os resultados de projetos como o ATLETE 2 e o Compliant TV. Os participantes do MarketWatch têm experiência e conhecimentos em várias temáticas e categorias de produtos, e podem dedicar tempo e recursos a atividades que podem ir para além das atividades normais das autoridades de fiscalização de mercado. Essas atividades podem incluir verificação detalhada dos métodos de ensaio ou análise/pesquisa de mercado de determinadas categorias de produto. As vantagens do envolvimento deste consórcio são a grande rede de contactos e a capacidade de comunicar os resultados encontrados, mobilizar ações no terreno e sensibilizar a opinião pública, e talvez ainda mais importante a imparcialidade ou neutralidade em relação produtores e retalhistas.

Os decisores estão habituados ao lobby dos atores de mercado, mas é correto dizer que a sociedade civil e as entidades responsáveis pela implementação da legislação estão mais salvaguardadas da influência de atores de mercado externos. A estes se pode dizer que, embora a sociedade civil tente sempre respeitar a sua posição e decisões, é obrigação das organizações da sociedade civil defender os interesses dos cidadãos. Esse é o dever e a razão de existir destas organizações, representar e defender os direitos e interesses dos cidadãos e do ambiente, enquanto houver trabalho a desenvolver e potencial desperdiçado.

Ler texto completo em Inglês

Fabricantes do Reino Unido apanhados a falsificar etiquetas

Fabricantes do Reino Unido foram apanhados a falsificar o desempenho energético dos fornos para uso doméstico. A autoridade de fiscalização de mercado inglesa descobriu que um em cada quatro fornos disponíveis no mercado tinha a etiqueta energética com classificação errada, implicando perdas anuais de 700.000 libras (quase 850.000€) em energia, aos consumidores. O organismo nacional de medições britânico concluiu que os fabricantes desrespeitaram as regras ao abusarem das margens de erro dos ensaios para declararem melhor classificação energética, o que constitui uma valiosa jogada de marketing. As empresas cooperaram com as autoridades e não contestaram as acusações. Esta situação demonstra que os consumidores só têm a beneficiar com uma autoridade de mercado interventiva. Mais informações aqui.

EBAY multado por não apresentar as etiquetas energéticas nos seus anúncios

O parceiro alemão do MarketWatch (VZBV), através do seu núcleo regional VZ NRW, obteve uma vitória no tribunal regional de Colónia, contra o gigante Ebay. O tribunal decidiu responsabilizar o Ebay pela não apresentação das etiquetas energéticas ou da informação necessária por lei, dado que se trata de um site de publicidade e venda online. Esta decisão vem contrariar a posição dos retalhistas segundo a qual eles não deverão ser responsabilizados por não serem os distribuidores finais dos produtos. Mais informações aqui (em Alemão).