Guia para retalhistas

A publicação, preparada pela Quercus e pelo consórcio MarketWatch, destina-se aos retalhistas de produtos sujeitos aos regulamentos de etiquetagem energética. Este documento pretende resumir as principais obrigações legais dos retalhistas das lojas físicas e online, e fornecer informação para que estes possam ajudar, da melhor forma, os consumidores durante a compra de um novo produto. Para além dos aspetos legislativos, são também explicadas, resumidamente, as etiquetas energéticas das diversas categorias de produtos. Esta publicação pode ser descarregada em formato digital aqui. Caso pretenda uma cópia impressa entre em contacto com o parceiro nacional do projeto, a Quercus.

Saiba como verificar alguns requisitos de etiquetagem e conceção ecológica nos aparelhos à venda nas lojas

As etiquetas energéticas são uma ferramenta fundamental para orientar o consumidor nas suas escolhas. Para tal, deve ser corretamente exibida nos produtos à venda nas lojas físicas e online.

O consórcio do MarketWatch preparou um guia para que ONG’s e consumidores possam verificar alguns dos requisitos de etiquetagem energética e de conceção ecológica.

Para qualquer esclarecimento sobre esta matéria entre em contacto connosco.

 

Resultados da 3ª Campanha revelam melhoria na conformidade online

Terminou recentemente a 3ª campanha de visitas a retalhistas com o objetivo de verificar se os produtos cumpriam alguns dos requisitos de etiquetagem energética e conceção ecológica. A campanha abrangeu, em Portugal, 12 lojas físicas do distrito de Lisboa e 11 lojas online, onde foram verificados quase 2400 modelos, de 11 categorias de produto diferentes. Embora, nesta campanha, a percentagem de conformidade das lojas físicas seja quase o dobro das lojas online, na primeira campanha a diferença entre ambas era muito superior – as lojas físicas atingiram um valor de 74% enquanto as lojas online, uns escassos 3% (ver tabela). É também nestas últimas que se verificam menos produtos sem etiqueta (ou sem informação). Estes resultados mostram que a obrigatoriedade imposta pelo regulamento de etiquetagem na internet e também o esforço do Projeto MarketWatch, em colaboração com os retalhistas, tem surtido algum efeito.

Quadro_comparação_resultados_campanhas

Consulte também o relatório global da 3ª Campanha de visitas (em inglês).

Etiquetas energéticas à distância de um clique

Saiba mais sobre as etiquetas energéticas com o guia de bolso que a Quercus preparou, especificamente para os assistentes de venda e técnicos que lidam com aparelhos domésticos sujeitos ao sistema de rotulagem.
Guia_Etiquetas_2ªEdicao
A explicação de cada uma das etiquetas energéticas atualmente em vigor, as regras que os produtores e distribuidores têm que cumprir, a normativa, o calendário de aplicação, entre outros, são os temas abordados neste guia de setenta páginas. Para obter uma cópia digital clique aqui, e se pretender um exemplar impresso do guia, envie um email para marketwatch@quercus.pt.

Retalhistas europeus de lojas online não fornecem informação exigida por lei sobre equipamentos domésticos

O Projeto MarketWatch visitou 225 lojas em onze países europeus e encontrou vários problemas relacionados com a etiquetagem energética dos produtos, em particular nas lojas online. A não conformidade determinada nas lojas físicas foi de 12% enquanto a das lojas online chegou aos 54%.
Consulte o comunicado (em Português) e o relatório completo (em Inglês).

Uma etiqueta energética de classe A é realmente A?

A rotulagem energética e os requisitos de conceção ecológica deveriam possibilitar a introdução de melhores produtos no mercado, que ajudassem os consumidores a poupar energia e dinheiro, além de contribuírem para a proteção do ambiente.
No âmbito do Projeto MarketWatch serão testados produtos e visitadas lojas para verificar a sua conformidade com estes regulamentos. Para mais informações descarregue o folheto (PDF).

Apenas 3% das lojas de venda online cumprem as regras de rotulagem em Portugal

A Quercus visitou recentemente lojas online e físicas para verificar se os produtos sujeitos ao sistema de rotulagem energética e conceção ecológica cumpriam os respetivos regulamentos. A conformidade encontrada nas lojas físicas rondou os 74%, ou seja, três em cada quatro produtos apresentavam a etiqueta energética de acordo com a legislação. Nas lojas online a situação foi muito diferente e a conformidade foi de apenas 3%. Consulte aqui o comunicado.